sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Os poemas



Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Mario Quintana
Esconderijos do tempo. Porto Alegre: L&PM,1980.



Iria postar poeminhas meus, escritos há dois dias...
Mas meu estado de espírito pediu a leveza de Quintana.
Ficam os meus para a próxima. Aguardem...! :)
Foto Retirada deste link

7 comentários:

Santa disse...

Sempre que releio Quintana parece que é a primeira vez...

Beijos.

Silvio Vasconcellos disse...

Debih, quando o espírito não acena, não abana, só há um recurso: Mário que encanta, Mário Quintana.

Um beijo!

Sílvio.

Moita disse...

Debi

Os poemas do Quintana
são com lenços de adeus
ficarei uma semana
esperando pelos seus.

thaline disse...

Vou ficar então aguardando também pelos teus poemas, que sao lindos...
beijos
te cuida.

ex-petista disse...

Estou aí na luta. Espero a ajuda de vocês pra botar esta gang fora do poder.
http:ex-petista1.blogstop.com/

guilha disse...

Quintana é fenomenal realmente!
Mas eu gosto qdo entro aqui e tenho poemas seus pra ler! ;)

beijos!

Isli Melanie Gabrich disse...

Quintana é muito gostosinho. e as metáforas desse homem.... nossa!