segunda-feira, maio 16, 2005

Canção

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

Cecília Meireles

Ainda sem poemas de autoria própria.

3 comentários:

Patty disse...

Minha amiga... poesia certa para o momento, não é mesmo!!!
Bom, sabe q tô sempre ai quando precisa desabafar e chorar um pouco!!! Debi, não é por acaso q depois de tanto tempo voltamos a nos dar tão bem!!! Te considero minha irmã mais velha!!! Te adoro muito!!!
Muuitos bejinhos...

Claiton disse...

Nos conhecemos a tao pouco tempo mas pelo pouco q conheço já percebi a pessoa maravilhosa q vc é.. Meiga, Inteligente, Divertida....Não deixe que coisas pequenas te derrubem, Como já te falei vc pode contar comigo pro que precisar. Forte abraço!!!

Carlos disse...

Essa poesia é maravilhosa. Gosto muito dela.