domingo, setembro 14, 2008

Porcelana

Meia Lua
Três Marias completas,
mas meio céu estrelado.

Na tarde,
meio dia nublado

Amor por inteiro
meia paixão
Tesão por completo.

Meia boneca de pano
Pra sempre de porcelana.


Débora Linden Hübner
Dezembro de 2007.


3 comentários:

David Nascimento disse...

Oi Débora, obrigado pela visita... Eu também gostei muito do seu deste seu poema, "Porcelana". Por algum motivo quando o estava lendo, me lembrei de Caetano Veloso, Leblon... Não sei qual o motivo, mas me fez lembrar... a coisa flui, eu acho, é tão cheio de vida e fugaz que deve correr um mundo inteiro com todas as experiências possíveis para que a gente sinta tudo da gente e nada, tudo de todos e nada... Obrigado, beijos

Lidi disse...

Tão doces e simples palavras. A forma de dizer, com tão pouco, muito!

Beijão

Michele disse...

oI Débora, meu sobrenome tbm é Hubner, será que nós somos parentes?