quarta-feira, fevereiro 02, 2005

Tarde

Na hora dolorosa e roxa das emoções silenciosas
Meu espírito te sentiu.
Ele te sentiu imensamente triste
Imensamente sem Deus
Na tragédia da carne desfeita.

Ele te quis, hora sem tempo
Porque tu eras a sua imagem, sem Deus e sem tempo.
Ele te amou
E te plasmou na visão da manhã e do dia
Na visão de todas as horas
Ó hora dolorosa e roxa das emoções silenciosas.

Vinícius de Moraes
Rio de Janeiro, 1933


2 comentários:

Anônimo disse...

Querida Débi!
Obrigada por sua visita e por seu comentário!
Gostei muito de seu blog, principalmente das coisas que vc escreve. Parabéns!
Meu e-mail é ridaraujo@uol.com.br
Caso queira conversar mais ou trocar mais "figurinhas", estou à disposição, ok?
Grande abraço,
Renata
http://geleiageral.zip.net
http://geleiageral.nafoto.net

Fabio Rocha disse...

Lindto texto e linda imagem, Débi... Lindos como você. Beijos